Ir para o conteúdo

O início dos Parques de Diversões Itinerantes no Brasil

Para quem ainda não sabe, no dia 13 de Abril é comemorado aqui no Brasil o “Dia do Parque de Diversões” e como para nós esse data não poderia passar em branco, segue uma matéria especial que preparamos em homenagem e que você poderá acompanhar logo abaixo:


Mas começamos com a pergunta: "E aí, você sabe como que começou os tradicionais Parques de Diversões Itinerante aqui em nosso país?"


Pois bem, não existe algo preciso sobre uma data, mas os primeiros indícios se dão entre o final do Século XIX e início do Século XX.

No início os equipamentos não eram tão sofisticados e com tantos efeitos como nos dias atuais, tínhamos apenas pequenos carrosséis, chapéus mexicanos, muito deles fabricados em madeira. Também existiam as famosas barraquinhas de jogos e brindes que ainda podemos ver nos dias de hoje.


(Parque Teatro São Paulo, atual Moreno's Park)


Como estamos falando sobre parque de diversões itinerante não podemos esquecer-nos de falar sobre o transporte dos equipamentos e do próprio parque em si. Quem pensa que era como hoje, equipamentos que podem ser montados e desmontados sozinhos apenas por pistões hidráulicos está muito enganado, na época era tudo feito no “braço”, assim como em algumas atrações que ainda podemos ver nos dias atuais, só que de forma mais difícil. Já o transporte entre uma cidade e outra era uma longa viagem, muitos dos parques daquela época optavam por transportar os seus equipamentos em vagões das companhias ferroviárias e com isso, o traçado da ferrovia que determinava o roteiro que era feito pelo o parque.

Já os parques que queriam se aventurar pelo o interior do país pelas as estradas rodoviárias eram verdadeiros heróis, pois o asfalto e toda a estrutura que temos hoje eram raridade, isso quando havia. Para percorrer um trecho de 1.000 km levava até 20 dias, isso quando não apareciam problemas maiores como atolamento, caminhão quebrado entre outros fatores que pudessem atrasar a viagem.


(Coney Island Park na Década de 40)


As empresas itinerantes eram na época como são até hoje em sua maioria, estritamente familiares, com seus proprietários e famílias residindo no parque e se deslocando com ele e ainda naquela época, poucos eram os profissionais que se aventuravam em trabalhar nesses parques, em média os parques possuíam apenas 05 funcionários.

Um grande marco e também o primeiro deles para os Parques de Diversões Itinerante do Brasil foi em 1954, quando foi comemorado o IV Centenário de São Paulo que o setor foi convidado pelo o Governo do Estado para montar um grande Parque de Diversões no Ibirapuera, em São Paulo. Mas como naquela época não existiam equipamentos com qualidade e que pudessem fazer jus ao evento, foi a partir daí que se iniciou o trabalho de importação de equipamentos, principalmente vindos da Itália e o que contribuiu para que desse uma alavancada no setor e com o início de muitos parques itinerantes. Muitos deles na estrada até hoje como, por exemplo, o Moreno’s Park (antigo Parque Teatro São Paulo, que foi fundado em 1944), o Coney Island Park (fundado no início da década de 40), Parque Trombini (antigo Imac Center Park, fundado em 1957), o Ita Center Park (antigo Goiás Parque, fundado no início da década de 20) e tantos outros que ainda estão em atividade.


(Playcenter Itinerante no interior paulista)


Para que o setor pudesse ter uma maior representação e união, foi fundada em 1989 a ADIBRA – Associação das Empresas de Parques de Diversões do Brasil. O que garantiu um maior profissionalismo e possibilitou a troca de informações e experiências entre os parques, contribuindo assim para o desenvolvimento e ampliação do setor.

Também podemos citar outro marco, mais precisamente em 1993, quando foi realizado o FIPAT – Festival Internacional de Parques e Atrações, que ocorreu de 7 a 16 de maio daquele ano, esse evento foi montado no Parque Anhembi em São Paulo e que contou com a participação da ADIBRA e IAAPA.

O objetivo do FIPAT foi o de mostrar os melhores Parques de Diversões e fabricantes do Brasil, Estados Unidos e Europa e também algumas das melhores atrações disponíveis na época junto à imprensa, administradores públicos, autoridades e principalmente a sociedade em geral. E reuniu fabricantes, donos de parques, projetistas e diversos fornecedores nacionais, além da participação de 12 empresas estrangeiras. Entre os fabricantes, estavam presentes: Dambroz, Fionda, Metal Park, Ney Play, Preston e Três Eixos.

Já os parques presentes, foram eles: All Star Park, Cometa Central Park, Centro Ita, Coney Island, Danúbio Azul, Europark, Grilo Diversões, Interplay, Miami Center Park, Moreno’s Park, Playcenter, Trombini, entre outros. Também estava presente o famoso circo Orlando Orfei.

E reuniu cerca de 42 atrações de diferentes empresas e de várias regiões do Brasil, cada parque participou com uma atração. Entre as atrações montadas estavam às montanhas-russas Zeppelin (atual Space Moon do Yupie! Park) e a Magic Loop (ZL42 da Pinfari), além de atrações tradicionais como: Auto Pista, Barca Pirata, Carrossel, Chapéu Mexicano, Enterprise, Kart, Maria Fumaça, Roda Gigante, Tobogã, entre outras atrações. Os visitantes também podiam conferir shows musicais e apresentações de carros e motos.

O festival funcionou na forma de passaporte, onde os visitantes se divertiam a valer quantas vezes quisessem nas atrações que lá estavam.

Já outro marco importante e também o último até então, foi o da criação das Normas Técnicas para Parques de Diversões durante o ano passado, onde as principais empresas itinerantes, parques fixos, entre outros profissionais juntamente com a ADIBRA participaram do comitê criado na ABNT para a elaboração das normas e hoje esses parques já as colocam em prática.
Além desses principais marcos, muitos outros também foram realizados e que contribuíram muito para o desenvolvimento do setor, como o início dos grandes parques fixo, mas esse assunto fica para as nossas matérias futuras.

Para finalizar, fica aqui os nossos “Parabéns” a todos os parques de diversões do Brasil, independente se ele tem apenas um único brinquedo ou mais de 100 atrações e que eles possam estar sempre nos presenteando com atrações incríveis além dos momentos de alegria, magia e emoção.

Por Filipe Defacio, com informações ADIBRA, Moreno’s Park, Coney Island Park e Park Trombini.



www.parquedediversoes.com - Todos os Direitos Reservados - © 2002-2018 | Fale Conosco - contato@parquedediversoes.com
Todas as empresas e marcas aqui representadas são propriedades de seus respectivos donos, não possuímos vínculo comercial com as mesmas.
Voltar para o conteúdo