Ir para o conteúdo

Uma nova história: Hopi Hari supera crise e volta a funcionar neste sábado

Parque de Diversões Online | www.parquedediversoes.com
Publicado por em Notícias ·

Um pequeno país localizado em Vinhedo, no interior de São Paulo, vai reabrir suas fronteiras neste sábado (5). Depois de alguns anos difíceis, o Hopi Hari, o maior parque temático da América Latina, está pronto para deixar a crise no passado e começar uma nova história.

Em entrevista ao jornal Diário de SP , o presidente do Hopi Hari , José David Xavier, comentou os desafios que enfrentou desde que assumiu o cargo no começo do ano, além de contar, em primeira mão, as novidades que seus visitantes encontrarão nesta nova temporada.

“É praticamente a realização de um sonho. Quando eu assumi o parque, ele estava em um estado agudo de dificuldade. Depois de fazer uma sindicância, uma auditoria bem profunda, nós conseguimos elaborar um plano, e, graças a Deus, estamos conseguindo colocar tudo em prática”, diz ele, que estudou os últimos dez anos do parque para entender tudo aquilo que, no seu entendimento, deveria ser feito de outra forma.

Desde a inauguração, em 1999, o parque enfrentou diversos desafios financeiros. A situação se agravou, no entanto, em 2012, após um acidente fatal. Nos últimos cinco anos, as gestões que passaram pela administração não conseguiram solucionar os problemas e agravaram ainda mais a situação do “país encantado”.

Muitos brinquedos ficaram fechados e os serviços de zeladoria, defasados. Em maio deste ano, inclusive, a repercussão negativa ficou em evidência.

“Isso foi o fator determinante para ter de suspender a operação de atendimento ao público. E foi bem no dia em que a gente tinha praticamente fechado com um fundo importante, uma operação de R$ 70 milhões, que era o que viabilizaria 100% a operação. Então, eu não acredito em coincidência, né?”, avalia Xavier.

Hoje, porém, o presidente garante que estas são águas passadas. Segundo ele, a partir de amanhã, quem visitar o parque temático  vai encontrar um ambiente totalmente novo.

“O que os nossos visitantes podem esperar é um parque totalmente reestruturado, pensando em primeiro lugar na segurança, tanto a de atrações quanto a patrimonial e física das pessoas”, promete.

A reinauguração do parque também marca o retorno do evento “Hora do Horror”, que em sua 16ª edição, apresenta o tema “Karnak: A Maldição da Tumba”. Diferentemente das outras temporadas, esta contará com dois palcos, cada um com uma balada. Nas ruas, 88 artistas caracterizados vão assustar e interagir com os visitantes.

“Pode-se esperar bastante alegria, apesar de ser a ‘Hora do Horror’”, garante o presidente José David.

O ingresso agora custa R$ 150, mas garante acesso a todas as atrações em funcionamento, cerca de 80% do quadro geral, sem pagamentos extras.

Redação teve acesso ao plano de segurança

Os meses em que o parque esteve fechado não foram dedicados apenas para solucionar problemas administrativos. De acordo com o presidente do parque, houve investimento em todas as atrações. E, para checar a informação, a reportagem visitou o espaço e andou em quatro brinquedos: Montezum, Vurang, Vulaviking e Simulákron. Todos estavam em perfeitas condições.

“Na manutenção do Hopi Hari existe um plano com as frequências estabelecidas de acordo com o manual do fabricante. A gente faz revisões diárias, semanais, mensais e anuais”, afirmou Eduardo Fernandez, engenheiro mecânico do parque.

Segundo o especialista, as revisões diárias são feitas sempre que o espaço recebe visitantes e engloba pontos visuais, que podem detectar falhas facilmente. “Depois de realizar a dupla checagem, um documento é liberado e só assim a atração pode funcionar. As manutenções semanais, mensais e anuais já são mais especíicas”, explica o expert.

Além do cuidado com os brinquedos, o parque de diversões também investiu pesado em cursos de capacitação para funcionários.

Para trabalhar no Hopi Hari, todos os colaboradores devem ter uma formação técnica. O que é mais específico, Eduardo e sua equipe ensinam. “Vivemos em um país em que não temos muitos parques, então é difícil já ter pessoas preparadas no mercado. Por isso cuidamos disso”, justifica.

Próximo à Giranda Mundi, mais conhecida como Roda Gigante, o público também vai ter uma surpresa: agora o parque conta com uma delegacia. E lá a coisa é séria. Quem quer diversão, é melhor se comportar nos brinquedos...

Se ligue!

  • Ekatomb: atração querida pelos fãs, o Ekatomb não estará aberto amanhã, mas deve retornar nos próximos 60 dias.

  • Montezum: um dos brinquedos mais disputados pelos visitantes, a Montezum voltará a operar com dois trens em agosto.

  • Novas atrações: o parque planeja a compra de três novas atrações entre 2018 e 2019: duas infantojuvenis e uma adulta.

  • Tokaia (Hula Hupi): o brinquedo se encontra fora da grade de atrações e está em processo de desativação.

  • La Tour Eifel: fechada desde 2012, o parque estuda maneiras de reativar uma das atrações mais queridas pelos fãs e lançá-la com um novo formato em 2018.

Funcionários se emocionam com a reabertura do parque

Um lugar colorido e cheio de alegria de repente deu lugar ao silêncio. O parque ficou vazio, fechado. A luz apagou, faltou água e comida. Em um ano, eles receberam apenas dois salários, mas não abandonaram a camisa da empresa que tanto amavam.

Camila Ribeiro, que trabalha no Hopi Hari desde a sua inauguração, em 1999, representa muitos funcionários que até pensaram em desistir, mas resolveram acreditar que aquele local ainda traria muita diversão. “Minha família pressionava, falava que eu precisava me recolocar no mercado, mas eu tenho um amor inexplicável por esse parque, decidi acreditar e deu certo”, conta emocionada.

De atendente da bilheteria, Camila se tornou supervisora de operações do Hopi Hari. O choro, agora, é de emoção. “Era triste ouvir que o parque estava morto, quando vejo tudo pintado e pronto para receber os visitantes, fico arrepiada”, diz, pronta para a reabertura.

“Depois de falir, quando Walt Disney reabriu seu parque, ele disse que estava na entrada, viu a quantidade de pessoas chegando, e disse: ‘Eles vieram’. Não vejo a hora de dizer isso", disse a funcionária apaixonada pelo Hopi Hari.

*Com reportagem de Bárbara Saryne e Giovanni Oliveira.
Fonte: Último Segundo - iG @ http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2017-08-04/hopi-hari.html




www.parquedediversoes.com - Todos os Direitos Reservados - © 2002-2018 | Fale Conosco - contato@parquedediversoes.com
Todas as empresas e marcas aqui representadas são propriedades de seus respectivos donos, não possuímos vínculo comercial com as mesmas.
Voltar para o conteúdo